terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Patinhos Grandes (estar informado não custa)


Dia Mundial de Luta contra a Sida


A Assembléia Mundial de Saúde instituiu essa comemoração em 1987, com o apoio da Organização das Nações Unidas (ONU), para reforçar na sociedade a solidariedade, a tolerância e a compreensão com os portadores do vírus da Sida. Os governos passaram a promover inúmeras campanhas educativas para prevenir a propagação desse vírus.


O que é a Sida?
A Sida, uma abreviação em inglês da Síndrome de Imunodeficiência Adquirida, é uma manifestação clínica avançada da infecção pelo vírus da imunodeficiência humana (HIV-1 e HIV-2). Geralmente, a infecção pelo HIV leva a uma imunossupressão progressiva, especialmente da imunidade celular, e a uma desregulação imunitária. Tais desregulações e supressões imunitárias acabam por resultar em infecções oportunístas, neoplasias e/ou manifestações (demência, caquexia, trombicitopenia etc.) que são condições definidoras de Sida, quando em presença da infecção pelo HIV.

Em que situações se pode contrair Sida?
1) Nas relações sexuais - no qual um dos parceiros esteja contaminado.
2) Nas transfusões de sangue, quando o sangue estiver contaminado.
3) Nas práticas de compartilhar agulhas e seringas (duas ou mais pessoas usarem uma só), especialmente no uso de drogas injetáveis, quando um dos usuários estiver contaminado.
4) Materiais de acupuntura, tatuagens e outros objetos perfurantes e cortantes também podem representar perigo.
5) Da mãe para o filho durante a gravidez, parto e amamentação, se a mãe estiver contaminada.

Onde não há risco de se contrair Sida?
1) No beijo social, abraços e apertos de mão.
2) No convívio familiar.
3) No local de trabalho.
4) Nos transportes coletivos.
5) Nos aparelhos sanitários, pias e piscinas.
6) No uso comum de pratos, talheres e copos.
7) Nas picadas de insectos.
8) Na doação de sangue.

A doença é diagnosticada por meio de um exame específico. Deve ser tratada imediatamente, pois, no estágio mais avançado, aparecem infecções graves que levam a pessoa à morte. Ainda não há uma vacina para a Sida, mas a medicação adoptada, chamada popularmente de "coquetel", permite que o paciente que a recebe tenha uma sobrevida maior do que aqueles que não recebem tratamento específico, embora a síndrome ainda seja considerada incurável.

2 comentários:

非凡 disse...

I'm appreciate your writing skill.Please keep on working hard.^^

Meri Aleixo disse...

Muito bom blog
cheio de informação importante
já visitei-vos
e gostei muitíssimo


abraço